Passo-a-passo para um sorriso saudável, acesse o material gratuito.

É impossível negar o poder transformador de um sorriso. Quantas vezes ele já não contribuiu para melhorar o seu dia? Quando alguém está satisfeito com o próprio sorriso, se torna mais confiante, otimista, feliz, e isso, claro, reflete em toda saúde física, mental e psicológica.

A boca desempenha importantes funções. É por ela também que se reflete a nossa saúde geral, além de ser a maior cavidade do corpo a ter contato direto com o meio ambiente, o que se revela a porta de entrada para bactérias e outros microrganismos que podem ser nocivos à saúde. A falta de limpeza pode levar às doenças sérias dos dentes que, por sua vez, causam enfermidades mais graves, principalmente cardiovasculares e compromete quem tem diabetes.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde bucal compreende um estado em que a pessoa está livre de dores, desconfortos e alterações na boca e na face, abrangendo as condições de câncer oral, infecções e ulcerações bucais, doenças e quaisquer distúrbios que possam afetar a qualidade de vida, impedindo que o paciente coma, sorria, fale ou se sinta socialmente confortável.

Para evitar qualquer problema ou complicações, é importante manter visitas regulares ao dentista, manter a higiene bucal sempre em dia e contar com um plano odontológico para dar a cobertura que você precisa. Os planos BB Dental são os mais completos e ideais para toda a família, com preços que se encaixam no seu bolso e mais de 31 mil dentistas credenciados por todo o país.

Mas não é só isso, nós sabemos como a saúde bucal gera uma série de dúvidas e pensando nelas que criamos o Guia para um Sorriso Saudável. Nesse material gratuito, você receberá dicas valiosas e um passo-a-passo para manter a saúde da sua boca, além de como prevenir as principais doenças bucais.

Baixe o material aqui.

Fonte: Folha VitóriaSorrisologia

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Saúde Bucal? Cadastre-se aqui e aproveite!

Apertamento dentário

O apertamento dentário é, na verdade, classificado como um tipo de bruxismo. Assim como o nome sugere, ele nada mais é do que o hábito de apertar involuntariamente os dentes da arcada superior com a inferior.

Esse hábito pode trazer diversas consequências ruins para os pacientes, nos dentes, o atrito gerado pode causar desgaste intenso, inflamação e necrose da polpa (problema de canal). Quando a força aplicada há o risco de fraturas dentais que se não tratadas podem causar a perda dos dentes, dependendo de sua extensão.

A movimentação intensa ainda pode afetar o posicionamento dos dentes e, caso o paciente possua implantes dentários, há risco de queda dos dentes implantados, pois esses não suportam a pressão excessiva causada pelos hábitos parafuncionais. Nos músculos, podem ser observadas dor e fadiga, além da tensão muscular, que pode desencadear episódios de dor de cabeça e enxaqueca. Na articulação temporomandibular também é afetada, podendo ocorrer dores e até desgaste ao longo do tempo.

Esse conjunto de alterações causa irritabilidade, cansaço e sensação de fadiga no paciente. Além disso, a hiperfunção dos músculos da mastigação resulta em diminuição da coordenação e, como consequência, traumas de mordida nas bochechas, lábios e língua. Desta forma, o dentista deve se atentar a todos os sintomas do paciente para que o diagnóstico seja o mais precoce possível, a fim de que danos irreversíveis sejam evitados. A análise minuciosa dos sinais e sintomas indicará ao profissional qual a forma de tratamento deve ser adotada: placas miorrelaxantes, acompanhamento psicológico, entre outros.

Por isso é tão importante manter as visitas ao dentista em dia e lembrar de falar possíveis sintomas durante as consultas. Os planos da Brasildental podem te dar a cobertura necessária para realizar qualquer tratamento pedido pelo seu dentista, além de contar com mais de 31 mil profissionais credenciados.

 

Fontes: SorrisologiaPortal do Sorriso

 Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Saúde Bucal? Cadastre-se aqui e aproveite!

Entenda a alveolite e seu tratamento

A alveolite é uma infecção do alvéolo, parte interior do osso onde se encaixa o dente. Geralmente ocorre depois de extrair um dente, quando não se forma um coágulo sanguíneo ou este se desloca, desenvolvendo-se uma infecção. Existem dois tipos de alveolite: a seca e a purulenta.

A alveolite seca instala-se quando não ocorre a formação do coágulo sanguíneo pós-extração, sendo assim, o interior do alvéolo fica seco, ou seja, com exposição do respectivo osso e correspondentes terminações nervosas, o que leva a uma situação de desconforto e dor intensa.

Já na alveolite purulenta existe produção de pus e sangramento, o que pode ser causado por reações a corpos estranhos existentes no interior do alvéolo, provocando mau cheiro e dor intensa, mas que, geralmente, não é tão forte como na alveolite seca.

Existem alguns fatores de risco que podem aumentar as chances do desenvolvimento de alveolite, como por exemplo, hábitos de higiene oral inadequados, ter sofrido uma extração dentária difícil e/ou incorreta, a anestesia usada na extração, presença de infecções já existentes perto do local, uso de cigarro, bochechos que possam remover o coágulo sanguíneo, uso de anticoncepcionais orais, falha na desinfecção do local, doenças como diabetes ou problemas de coagulação podem também aumentar o risco de desenvolver uma alveolite.

Os sintomas mais comuns são dores de dente intensas com irradiação para o restante do rosto, pescoço ou ouvido, mau hálito, alterações no paladar, inchaço, vermelhidão, aumento dos gânglios linfáticos na região, febre e presença de pus, caso se trate de uma alveolite purulenta. O tratamento, geralmente consiste em higienização do local pelo dentista seguida pela a administração de medicamentos anti-inflamatórios e antibióticos.

A pessoa também deve reforçar a higiene oral em casa, seguindo todos os passos prescritos pelo dentista, que pode ainda recomendar anestésicos locais para reduzir a dor e colocar uma pasta anti-séptica medicamentosa.

Nos primeiros sintomas, é fundamental procurar o dentista. Para isso, a Brasildental conta com uma rede credenciada com mais de 31 mil profissionais especializados e prontos para lhe atender.

Fontes: Tua SaúdeSaúde e bem estar.

 

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Saúde Bucal? Cadastre-se aqui e aproveite!

Aftas, entenda suas causas e tratamentos

Aftas são pequenas úlceras rasas que aparecem na cavidade oral, geralmente na mucosa bucal, gengivas e embaixo da língua. Elas são ovais, normalmente brancas e têm bordas avermelhadas. Essas lesões podem ser dolorosas e incomodar bastante o paciente no momento de ingestão alimentos, podendo causar até mesmo febre e cansaço.

As causas para o seu aparecimento são diversas, podem ser resultado de um sistema imunológico enfraquecido ou um sinal físico de um período em que o estresse e a ansiedade estiveram muito elevados. Também podem surgir na boca como resultado de algum trauma na região, como um acidente, uma mordida na bochecha ou até mesmo após a realização de alguma cirurgia, como o procedimento de extração dos dentes do siso. Não só isso, pequenos machucados decorrentes de acidentes ou escovação excessiva podem criar ambiente propício ao aparecimento das aftas. Além disso, a carência de vitamina B12, reações alérgicas às bactérias bucais e/ou doenças inflamatórias do sistema digestivo podem contribuir para o surgimento das aftas.

As aftas pequenas geralmente não precisam de tratamento e desaparecerem em até duas semanas, se houver muita dor ou dificuldade para deglutir, pode-se recorrer a tratamentos sintomáticos, como os bochechos com medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, assim como à aplicação de pomadas para uso oral com analgésicos. Em casos mais graves, pode ser necessário o uso de anti-inflamatórios sistêmicos (como os corticoides) ou medicamentos para reduzir a acidez estomacal. Todos estes tratamentos devem seguir a recomendação do dentista.

Durante a recuperação, algumas medidas simples podem ajudar, entre elas destacam-se: evitar alimentos ácidos ou muito condimentados e escovar os dentes suavemente. Também ajuda quebrar pequenos pedaços de gelo e deixá-los dissolver na boca, como forma de aliviar a irritação.

No entanto, se as aftas forem muito grandes, frequentes ou demorarem mais de três semanas para sumirem, o recomendado é retornar ao dentista. Para isso, a Brasildental tem diversos planos com mais de 31 mil profissionais credenciados em todo o país e especializados para lhe dar o melhor atendimento e diagnóstico.

Fontes: Drauzio VarellaRede dor São Luiz

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Saúde Bucal? Cadastre-se aqui e aproveite!