Próteses dentárias: você sabe para o que servem?

Conforme envelhecemos, é comum que nossos dentes fiquem mais frágeis e, aos poucos, comecem a cair. Mas, com os grandes avanços da tecnologia, isso não é mais um problema.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 50% da população brasileira adulta tem 20 ou menos dentes funcionais, enquanto grande parte dos idosos acima de 60 anos tem apenas 70% dos dentes.
As próteses dentárias existem em diversas formas, mas de modo geral, elas servem para substituir o dente quando ele não está mais saudável ou no caso da não existência dele.

A mais conhecida é a prótese removível, popularmente conhecida como dentadura. Ela é feita de resina a partir do molde dos dentes do paciente e é utilizada para o caso de perda total de todos eles. Hoje, é possível reproduzir cor, formato e tamanho dos dentes naturais e da gengiva.

Outros tipos de prótese incluem a unitária, que é um molde com o formato apenas do dente prejudicado, a prótese parcial removível, a parcial fixa, a flexível e a prótese sobre implantes.

Para saber qual prótese é a correta para você, consulte um dentista. Cuidar dos dentes é importante e faz parte dos cuidados básicos com a saúde.

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Fonte: Abril Saúde

Você sabe o que é periodontite?

Periodontite é o estágio avançado da inflamação da gengiva (gengivite). Também chamada de doença periodontal, ela é causada principalmente por baixa higiene dental.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% da população mundial é atingida pela condição, sendo uma das principais causas de perda dentária. Isso ocorre porque depois de anos com a gengiva inflamada, ela começa a afetar o periodonto, tecido que divide os dentes da mandíbula. Após um tempo, os dentes começam a perder estabilidade e, eventualmente, caem.

Seus principais sintomas incluem sangramento gengival, mau hálito, amolecimento dos dentes e inchaço gengival. Mas, muitas vezes pode ser assintomática, dificultando um pouco o diagnóstico.

O tratamento é feito através de limpezas dentárias, antibióticos, anti-inflamatórios e enxaguantes bucais. Para prevenir o surgimento da periondotite, certifique-se de sempre escovar muito bem os dentes e fazer visitas regulares ao dentista.

E atenção: algumas condições podem aumentar os riscos de desenvolver a inflamação, como diabetes, obesidade, tabagismo, histórico familiar, problemas hormonais, entre outros.

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Fonte: Abril Saúde

Dente nascendo: quais sintomas a criança pode ter?

O nascer dos dentes gera alguns desconfortos para as crianças e os pais precisam ter paciência para acalmar os pequenos além de saber lidar com os sintomas. Você sabe quais são as principais irritações durante esse período?

Quando os dentinhos estão nascendo, as crianças podem sentir coceira na gengiva, aumento da saliva, bem como inchaço na região e vermelhidão, além de perda do apetite, irritação e sono agitado. Febre baixa e fezes amolecidas podem surgir. Todos esses sintomas são passageiros e variam de uma criança para outra. Caso persista por muitos dias, o indicado é procurar um dentista.

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Fonte: USP

O que você precisa saber sobre infecção bucal

Já parou para pensar quantas coisas ingerimos pela boca? A fim de evitar problemas de saúde, mantenha uma alimentação saudável e faça a higienização da boca corretamente.

Sérios problemas podem iniciar pela boca. Um exemplo simples é a cárie. Essa bactéria, quando não removida, afeta o canal do dente, prejudicando a região do cérebro, a cervical e tórax. Gengivite e Herpes também se manifestam pela boca e causam complicações quando não tratadas. Já a afta pode indicar que o sistema imunológico do corpo está baixo, ou seja, outro indicativo importante para você avaliar.

A boca dá muitos sinais de que algo não está bem como: feridas que demoram de cicatrizar, sangramentos na hora da escovação, mau hálito e outros. Não deixe de ir ao dentista periodicamente, assim ele pode fazer avaliações e ajudar na sua saúde como um todo.

Os artigos publicados em nosso blog têm o intuito de mostrar a importância da saúde bucal. O conteúdo não substitui a orientação dos dentistas ou demais profissionais de saúde.

Fonte: Extra